Pesquisa/Search

Carregando...

terça-feira, 28 de agosto de 2012

TEORIA DOS MERIDIANOS E PONTOS DE ACUPUNTURA


A teoria dos meridianos é fruto da experiência e observação de muitos milênios, desde os primórdios da Medicina Chinesa. Ela foi formulada após a descoberta dos pontos de acupuntura, pois, ao estimular certos pontos, constatou-se que havia uma sensação que se propagava em direções bem determinadas, e que provavelmente estes pontos seriam conectados internamente aos órgãos para produzirem seus efeitos terapêuticos.
Assim, ao se traçarem linhas conectando os pontos análogos (ou seja, pontos cujos efeitos à aplicação da acupuntura são semelhantes), obtiveram-se algumas linhas longitudinais que foram denominadas Meridianos, ou “canais de energia”. Em nosso corpo existem dezenas de meridianos, sendo 14 deles considerados principais, pois possuem relação direta com os órgãos e vísceras do corpo.
É importante lembrar que os meridianos são uma rede invisível que percorre por entre os ossos e os músculos, e funcionam como um meio de ligação entre o exterior e o interior. Através deles, a energia (Qi) circula pelo organismo, da mesma maneira que o sangue circula pelos vasos sanguíneos, promovendo a nutrição, a defesa e a harmonização energética dos órgãos, vísceras e tecidos corporais.
Neste sentido, pode ser que essa circulação de energia nos meridianos seja obstruída por fatores externos ou internos, originando bloqueios e estagnações que podem gerar dores ou mau funcionamento do organismo (doenças em geral).E então, como o fluxo energético dos meridianos reflete o estado dos órgãos (Zang Fu), pode-se relacionar o sintoma doloroso ao meridiano que circula neste lugar e a seu órgão correspondente. Por exemplo: uma dor na clavícula que se estende até ombros e braços pode representar uma desarmonia do meridiano do Pulmão; uma dor de dente ou de garganta podem indicar uma desarmonia no meridiano do Intestino Grosso; dores de cabeça podem ser diagnosticadas conforme o local da dor e os meridianos que passam pela área, e etc. Também pode-se diagnosticar através da presença de nodosidades, sensibilidade ou mudança morfológica nos meridianos ou pontos de acupuntura.
Por falar em pontos de acupuntura, estes são pequenos pontos de apenas alguns milímetros quadrados que funcionam como locais de entrada e saída de energia, agindo como um meio de comunicação entre o exterior (a pele) e o interior do nosso corpo (os órgãos). Estes pontos servem ao mesmo tempo de receptores para as “energias celestiais” e de barreira para as “energias perversas” que, caso vençam essa barreira, irão penetrar no organismo através dos pontos de acupuntura, tendo acesso aos meridianos e, com o tempo, às estruturas orgânicas mais profundas, causando as doenças que podem ser vistas pela medicina ocidental. Portanto, justamente por serem a expressão dos órgãos no nível mais externo, é que a inserção de agulhas nos pontos de acupuntura torna possível mobilizar todos os tipos de energia do organismo e dos meridianos, devido à ação que a acupuntura possui de neutralizar as estagnações e promover a circulação correta de energia (Qi).
Existem cerca de 2 mil pontos de acupuntura em nosso corpo, sendo boa parte deles localizados nos meridianos, enquanto os outros são denominados pontos extras ou pontos Ashi (pontos locais de dor)

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...